DO IN – “Despertar a memória “ ou bater na Almofada de Jade

O que é o DO-IN?
Entre as práticas da Medicina Tradicional Chinesa, destaca-se o DO IN como o mais simples e acessível método para a autoconsciência, a saúde e o crescimento pessoal. Através do gesto espontâneo de se tocar (automassagem), desenvolvemos o autoconhecimento que lhe permite desfazer o “lay-outs” desarmônicos da saúde, e o praticante torna-se mais consciente de suas energias em desequilíbrio, e aprende a redirecioná-las para o seu padrão natural de expressão harmônica promovendo a saúde e o bem-estar, investindo-as em seu próprio processo evolutivo e de automestria.

  • Alguns dos Benefícios:
    Auxilia a curar pequenas dores;
  • ajuda a manter o equilíbrio e o fluxo da energia;
  • eliminação do cansaço causado pelas pequenas dores;
  • elimina o estresse;
  • vitalidade física
  • redução dos sintomas da TPM;
  • promoção da saúde e o bem-estar.

“Despertar a memória “ ou bater na Almofada de Jade

Dedos indicadores das mãos bater o tambor celeste, ressoando vinte e quatro vezes.
Isso irá gerar um som de bateria na cavidade cerebral. Este exercício é comumente chamado “ming tian gu” (鳴 天 鼓), que significa “soar o tambor celestial”.com os dois dedos ao mesmo tempo, ou alterne os dedos.

A almofada de jade (yu zhen, 玉 枕) é o nome de uma cavidade localizada na parte de trás cabeça sob a saliência do osso na altura da protuberância occipital.

Quando você fizer este exercício, não deixe seu dedo anular mindinhos tocarem sua cabeça, pois isso abafará o som. Concentre-se no som e deixe que cada batida traga sua atenção mais completa às vibrações no crânio e no cérebro. Batendo o tambor limpa o mente e mantem você mais consciente. Quando você terminar e tire as mãos dos ouvidos, você se sentirá mais perceptível, mais atento e tudo parecerá mais claro.

Obs.: Esta é uma das práticas utilizada, para preparar o corpo e a mente nas aulas de Tai Chi Chuan e Chi Kung do Studio Alquimia Interior.

 

Texto adaptado: Mozart Santos
Instrutor de Tai Chi Chuan e Qi Gong e Autodidata em DO-IN e Medicina Tradicional Chinesa

Baixe aqui a versão em PDF  clique -> DO IN – Despertar a memoria (Studio Alquimia Interior)

Anúncios

Tai Chi Chuan é vida saudável 

O processo da prática do Tai Chi Chuan dará às pessoas a possibilidades de levarem vida saudável, livres de doenças, prolongando os seus dias de vida e oferecendo outros benefícios, como seja: a saúde psicológica, o cultivo moral, o melhoramento do comportamento, o estabelecimento de uma verdadeira integridade, uma ajuda a si próprio e os outros, o estabelecimento do nível da própria dignidade; autocontrole, autocompostura, e o estabelecimento de uma filosofia otimista para com a sociedade humana. A pessoa torna-se delicada e ao mesmo tempo firme. Isto quer dizer que ela conquistou uma boa realização de sua firmeza central. 

– Grão Mestre Dr. Wu Chao Hsiang

Jin Li – Saudação ou o cumprimento nas Artes Marciais Chinesas.

Jin Li – (Chin Li).
Saudação ou o cumprimento nas Artes Marciais Chinesas.
Mão esquerda aberta, representando a força Yin (feminino, acolhimento, Lua, Noite e etc.) lado do coração.
Mão direita fechada, representando a força Yang (masculino, ação, Sol, Dia e etc.) lado da razão.
Enfim a saudação mostra que o praticante possui em sua essência as duas forças Yin e Yang, e que elas devem ser complementares, para que haja harmonia em seu treinamento, autodesenvolvimento, em rumo a sua automestria.
As artes marciais tem como objetivo trazer paz e harmonia entre os praticantes, através de um código de conduta e principalmente o respeito.
– Mozart Santos
Studio Alquimia Interior
Terapias Holísticas e Práticas Orientais

Kuan Yin 观世音菩萨


Na mitologia chinesa, Kuan Yin 观世音菩萨 é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia. 
Esta Deusa enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe. A MESTRA KUAN YIN TORNOU-SE A INCORPORAÇÃO DA COMPAIXÃO. Ela nos diz que se você cantar seu mantra diariamente, cultivará a compaixão que curará o mundo das mais dolorosas feridas.
Mantra: OM MANI PADME HUM

Kuan Yin é representada com um dragão, pois ele é o símbolo mais antigo da alta espiritualidade, a sabedoria, a força e os poderes divinos de transformação.

OM MANI PADME HUM

Tradução: Recebemos a Jóia da consciência no coração do Lótus. (O Lótus é o chakra).
Significa – Recebemos a jóia da consciência divina, no centro do nosso chakra da coroa.
Avalokitesvara alcançou tão elevado grau de espiritualidade, como se tivesse subido a mais alta montanha. Destas alturas, estava para partir à planos ainda mais elevados, e distantes da terra, quando ouviu um gemido que vinha do inconsciente coletivo da humanidade.
O lamento por sua partida. Seu coração encheu-se de compaixão e Avalokitesvara prometeu ficar neste planeta trabalhando e servindo para evolução da humanidade.
Este juramento bodhisatva, é feito por todos os Mestres que servem a Luz da Grande Fraternidade Branca. Eles deixam de seguir as sua evolução em planos superiores, para servir a Luz de seus irmãos ainda encarnados.
Ao recitarmos o Mani Mantra, estamos penetrando a mesma roda metafísica que os Mestres Ascensos e não Ascensos da Grande Fraternidade Branca que estão constantemente empurrando – a Roda da Evolução Espiritual da humanidade.
Este mantra tem sua origem na Índia e de lá foi para o Tibet. Os tibetanos não conseguiram entoá-lo da mesma forma, mudando sua pronuncia para: OM MANI PEME HUNG este é o mantra mais utilizado pelos budistas tibetanos.
Qualquer pessoa pode entoá-lo. Estando feliz ou triste, ao entoar o “Mani Mantra”, uma espontânea devoção surgirá em nossa mente e o grande caminho será fortemente realizado.
O mantra OM MANI PADME HUM, é fácil de pronunciar e poderoso pois contém a essência de todo o ensinamento.
Muito tem sido escrito sobre este mantra e é impressionante que apenas seis silabas possam atrair tanto comentário importante.
De acordo com Dalai Lama, o propósito de recitar este mantra é transformar o corpo impuro de suas palavras e mente, no puro e louvado corpo, palavra e mente de um Buda.
O som de cada silaba é visto como tendo uma forma paralela espiritual.
Fazer o som de cada silaba portanto, é alinhar a si mesmo com aquela qualidade espiritual particular e para se identificar com isto.
Existe também um grande numero de outros beneficio que resultam da repetição deste mantra, incluindo a produção do mérito e destruição do carma negativo.
OM – A primeira silaba, recitá-la o abençoa para atingir a perfeição na pratica da generosidade.

MA – Ajuda a aperfeiçoar a pratica da ética pura.

NI – Ajuda a atingir a perfeição na pratica da tolerância e paciência.

PAD – Ajuda a conquistar a perfeição na pratica da perseverança.

ME – Ajuda a conquistar a perfeição na pratica da concentração.

HUM – Ajuda na conquista da perfeição na pratica da sabedoria.
A senda das seis perfeições é a senda de todos os budas. Cada uma das seis silabas elimina um dos venenos da consciência humana.
OM – Dissolve o orgulho

MA – Liberta do ciúme e da luxuria.

NI – Consome a paixão e os desejos 

PAD – Elimina a estupidez e danos. 

ME – Liberta da pobreza e possessividade.

HUM – Consome a agressão e o ódio. 
Os mantras são freqüentemente, os nomes dos budas, bodhisattvas ou mestres e que o compuseram. Os mantras são investidos com um infalível poder de ação, de forma que a repetição do nome da deidade, transmite as qualidades de sua mente. O nome é idêntico a deidade ou essência da deidade que o compôs e com ele presenteia a humanidade dando a seus irmãos a essência de tudo aquilo que ele atingiu em muitas vidas de esforço e sagrado oficio. Dando o glorioso resultado de seu momentum de sabedoria.
Ao recitar este mantra, o meditante também pode conseguir as qualidades do Chenrezig, o bodhisatva da compaixão, conhecido na tradição Mahayana como Avalokitesvara.
O mantra OM MANI PADME HUM, chamado de mani mantra, levanta algumas traduções misteriosas. Diz a tradição que este mantra significa o nome Chenrezig. Contudo, Chenrezig não tem nome, mas ele é designado por nomes. Estes nomes são a taça para a compaixão a benção e a força que ele derrama. Portanto este é apenas um dos nomes de Chenrezig, MANI PADME, colocado entre as duas silabas sagradas OM e HUM.
Parece-nos que Chenrezig, Avalokitesvara e Kuan Yin são os nomes do mesmo buda da compaixão.
OM – Representa o corpo de todos os budas, também o começo de todos os mantras.

MANI – Jóia em sânscrito 

PADME – Lótus ou chakra

HUM – A mente de todos os budas e freqüentemente finalizam os mantras.

MANI – Refere-se a Jóia que Chenrezig segura no centro de suas duas mãos. 

PADME – Refere-se ao lótus que ele segura na sua segunda mão esquerda.
Dizendo MANI PADME estamos nominando Chenrezig através de seus atributos: “Aquele que segura a Jóia e o Lótus”. Chenrezig ou Jóia do Lótus são dois nomes para a mesma deidade.
Quando recitamos este mantra, estamos na verdade repetindo o nome de Chenrezig. Este mantra é investido com a benção e o poder da mente de Chenrezig, sendo que ele mesmo reúne a benção e a compaixão de todos os budas e bodhisattvas. Desta forma o mantra é imbuído com a capacidade de purificar nossa mente de sua obscuridade. O mantra abre a mente para o amor e compaixão e a conduz ao despertar.
Sendo a deidade e o mantra um em essência, significa que é possível recitar o mantra sem necessariamente trabalhar a visualização. A recitação permanece efetiva.
Cada uma das seis silabas sagradas retêm um efeito purificador genuíno.
OM – Purifica o corpo

MA – Purifica a palavra

NI – Purifica a mente

PAD – Purifica as emoções 

ME – Purifica as condições latentes

HUM – Purifica o véu que encobre o conhecimento 
Cada silaba é ela mesma uma oração
OM – É oração dirigida ao corpo dos budas

MA – É oração dirigida à palavra dos budas

NI – É oração dirigida à mente dos budas

PAD – É oração dirigida às qualidades dos budas

ME – É oração dirigida à atividades dos budas

HUM – Reúne a graça (benção) do corpo, palavra, mente, qualidade e atividade dos budas. 
Estas seis silabas correspondem à transcendental perfeição dos budas secretos.

Salve, Salve sua Luz!