Tai Chi Chuan é vida saudável 

O processo da prática do Tai Chi Chuan dará às pessoas a possibilidades de levarem vida saudável, livres de doenças, prolongando os seus dias de vida e oferecendo outros benefícios, como seja: a saúde psicológica, o cultivo moral, o melhoramento do comportamento, o estabelecimento de uma verdadeira integridade, uma ajuda a si próprio e os outros, o estabelecimento do nível da própria dignidade; autocontrole, autocompostura, e o estabelecimento de uma filosofia otimista para com a sociedade humana. A pessoa torna-se delicada e ao mesmo tempo firme. Isto quer dizer que ela conquistou uma boa realização de sua firmeza central. 

– Grão Mestre Dr. Wu Chao Hsiang

Anúncios

Tratando o Tai Chi Chuan como uma arte marcial

Tai Chi Chuan como Arte Marcial

Tratando o Tai Chi Chuan como uma arte marcial com fundamentos taoístas, segue um trecho sobre a Alquimia que busca a natureza essencial do homem, a consciência pura. Para aprofundar a reflexão do Tai Chi Chuan para além de uma prática biomecânica.

“Em uma pessoa comum, normalmente é a consciência que comanda a força vital e é a força vital que sustenta a consciência. Mas a força vital da pessoa, por si, não possui consciência, e a sua consciência, em si, não tem força vital. O alquimista, como resultado da sua prática, aspira a fusão dos dois. Espera chegar ao ponto que sua consciência seja, neste momento, a própria força vital, e a força vital a própria consciência.

É como se cada célula, cada miligrama de energia do seu corpo possuísse consciência. Por exemplo, o dedinho da sua mão não pensa, quem pensa e manda é o cérebro. Imagine como seria se o polegar pensasse, a unha também, e não só a unha, mas cada célula que compõe a unha! E imagine se não fosse somente a célula que pensasse mas também a energia que faz com que a célula esteja viva! Ampliando para o corpo inteiro, de repente tudo pensaria de uma forma universal, tudo possuiria consciência universal e pura. Neste momento a dualidade estará anulada e não é mais possível distinguir entre consciência de um lado e energia de outro: essa dualidade deixou de existir. A energia é totalmente consciente, consciência pura, a consciência é absolutamente energética, energia pura. A energia está em toda parte do universo e, através da energia como ponte, sua consciência é capaz de observar todo universo. Se sua consciência pode chegar a toda parte do universo através da energia, é porque sua energia possui consciência e se conecta com tudo. É nessa hora que a sua consciência alcança a plena iluminação, a plenitude da consciência. É como se a ela se ampliasse infinitamente, para toda parte. Esse é o momento da perfeita iluminação.”

(Wu Jyh Cherng – Trecho do livro – Iniciação ao Taoísmo – Vol. 2 – RJ, Editora MauadX, 2006, pp 54-5.)

Os benefícios da prática regular do Tai Chi Chuan

É comum algumas pessoas perguntarem – e até mesmo desacreditarem – como exercícios tão lentos e suaves podem resultar em efeitos tão poderosos e salutares à saúde. A resposta está na respiração coordenada com movimentos que obedecem a um padrão rítmico, no poder que dela emana. Os movimentos de puxar, empurrar, torcer, exionar, erguer, abaixar, chutar, saltar, caminhar, esticar, dobrar, apertar, arrastar, curvar, girar, rodopiar, abrir, fechar, contrair, expandir…, ainda que predominamtemente executados de forma suave, atuam como autêntica e poderosa massagem nos principais pontos de acupuntura e circuitos de meridianos. Esses estímulos resultam em alongamento e desbloqueio dos canais, liberando o fluxo natural do chi (energia vital). Diz-se que o Tai Chi Chuan é a Yoga em movimento, ou também a meditação em movimento. Poder-se-ia, de certa forma, também dizer: é acupuntura sem agulhas.
O fato é que os movimentos do Tai Chi Chuan, pela sua beleza, leveza e circularidade, têm o poder de atrair nossa atenção de forma extraordinária. Esses movimentos nascem no cérebro (com a intenção em realizá-los), as forças que os sustentam e animam fluem de baixo, avançando dos pés para as pernas até alcançar o baixo ventre, e da cintura – o grande “eixo” do nosso organismo – partem os comandos de movimentação de todo o corpo, para afinal serem expressos principalmente pelas mãos. Começamos, então, acompanhando com os olhos (“os espelhos da alma”, “aonde vai o olhar, lá estará nossa energia”) a movimentação das mãos, sentindo as conexões  do tronco, a rotação dos quadris, o giro suave da cintura, a lentidão, firmeza e suavidade dos passos, a leveza do corpo, a respiração desacelerando… Aí, como se fechassem todas as comportas mentais, só existindo uma janela para um pensamento, um foco: a realização de cada movimento. Nesse nível de relaxamento, os meridianos são alongados, os bloqueios energéticos vão lentamente se dissipando. Entra-se literalmente num estágio de meditação, porque meditamos exclusivamente no movimento, na construção de cada forma, cada gestual, tão intimamente abstraídos no silêncio que os ruídos externos quase passam despercebidos. E, naturalmente, com o chi circulando mais livre, os mecanismos internos de funcionamento do corpo são realizados de forma mais completa. A sensação de equilíbrio e serenidade não se perde. Como em conta gotas, nós a vamos acumulando a cada prática, a cada exercício. E em pouco tempo poderemos observar como nos sentimos mais dispostos, mais calmos, mais conscientes, mais prontos para enfrentar as rotinas e as novidades de cada dia. Somos beneficios física, mental e espiritualmente. 
Benefícios no plano físico:

  • aumento da exibilidade dos músculos e das articulações , notadamente da coluna;
  •  mais equilíbrio e força muscular, principalmente nas pernas;
  • aprimoramento da postura e coordenação motora; 
  • melhora no funcionamento do sistema imunológico;
  • aumento da capacidade respiratória ,produzindo maior
    oxigenação dos órgãos e tecidos; 
  • equilíbrio da pressão sanguínea;
  • redução de dores musculares; 
  • desenvolvimento de habilidades marciais. 

Beneficios no plano mental:

  • controle do estresse; 
  • relaxamento;
  • aumento do poder de concentração; 
  • bem-estar e sensação de paz interior; 
  • habilidade para estar no “aqui e agora”.

A sensação de equilíbrio e serenidade não se perde. Como em conta gotas, nós a vamos acumulando a cada prática, a cada exercício. E em pouco tempo poderemos observar como nos sentimos mais dispostos, mais calmos, mais conscientes, mais prontos para enfrentar as rotinas e as novidades de cada dia. Somos beneficiados física, mental e espiritualmente.
fonte: Livro Tai Chi Saúde do Ser

Jin Li – Saudação ou o cumprimento nas Artes Marciais Chinesas.

Jin Li – (Chin Li).
Saudação ou o cumprimento nas Artes Marciais Chinesas.
Mão esquerda aberta, representando a força Yin (feminino, acolhimento, Lua, Noite e etc.) lado do coração.
Mão direita fechada, representando a força Yang (masculino, ação, Sol, Dia e etc.) lado da razão.
Enfim a saudação mostra que o praticante possui em sua essência as duas forças Yin e Yang, e que elas devem ser complementares, para que haja harmonia em seu treinamento, autodesenvolvimento, em rumo a sua automestria.
As artes marciais tem como objetivo trazer paz e harmonia entre os praticantes, através de um código de conduta e principalmente o respeito.
– Mozart Santos
Studio Alquimia Interior
Terapias Holísticas e Práticas Orientais

O Tai Chi Chuan o Chi Kung e a holoinformação.

O Tao gera o Um

O Um gera o Dois

O Dois gera o Três

O Três gera as dez-mil-coisas

As dez-mil-coisas têm atrás de si escuridão

A sua frente elas abraçam a luz

E o vazio lhes dá a harmonia.

Este versículo apresenta uma visão alargada do conceito de Chi( Energia Vital ) a toda a realidade. Por um lado, o Um representa o sopro primordial, a unidade primitiva de onde procede o Dois, isto é, a dualidade Yin/Yang. Por outro lado, um famoso texto intitulado Comentário de Ho Chang Kong a Lao Tzu(2), diz-nos que o Yin e o Yang produzem os três sopros-energias: o puro, o impuro e a mistura que, por sua vez, constituiriam respectivamente, o céu, a terra e o homem. Os termos “escuridão” e “luz” significam yin e yang respectivamente. Quanto às “dez-mil-coisas”, o caracter chinês que significa «dez mil» é usado, para designar um número grande e indefinido.

O Chi dá nascimento ao céu e à terra: os sopros ligeiros mais Yang, se elevam e formam o céu; os sopros Yin, mais pesados, descem e formam a terra.

Por sua vez, homem é aquele que se encontra entre o céu e a terra, possuindo a sua própria energia, resultado de diversos componentes e está submetido às energias celestes e terrestres. O estudo das interações entre as energias que compõem e afetam o corpo humano é o objetivo da medicina tradicional chinesa, enquanto estudo da integração do homem no universo, trazendo assim o conceito do mundo holográfico e a holoinformação.

Assim sendo, podemos através Tai Chi Chuan e Chi Kung integrar o nosso Chi e nos harmonizar ao universo.